Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2013

Mais uma...

Mais uma para os advogados..
Hoje recebi esse despacho. 
"... Por economia processual e com fundamento nos princípios da cooperação e da racionalização do serviço público, bem como objetivando reduzir a carga de trabalho da Serventia para que os funcionários possam se dedicar ainda mais na diminuição do atraso existente nas juntadas, na digitação e no cumprimento dos processos, as partes e suas testemunhas deverão ser intimadas apenas por meio de seus advogados, os quais, por sua vez, deverão diligenciar para que elas sejam cientificadas da data e compareçam na audiência designada." (0004038-77.2007.8.26.0271 (271.01.2007.004038))
Se nem com intimação judicial a testemunha comparece a audiência o que dirá por cartinha de advogado.

Se essa moda pega como fica o advogado ? Além de se preocupar com os prazos tem que sair atrás de  testemunha ?

O judiciário está acabando com a nossa profissão. 

O que vocês pensam sobre isso ?


Graziela Vellasco




Tratamento igual aos iguais e desigual aos desiguais.

O advogado tem que ser infalível, não errar nunca. Se o advogado erra o endereçamento de uma contestação o juiz julga revelia e o Tribunal de Justiça mantem a decisão argumentado que é erro grosseiro. Não importa se a defesa foi apresentada no prazo legal ou que a Constituição Fedral preserva o direito a ampla defesa do réu, o advogado ERROU, apenas isso. Agora vejamos se o poder judicário erra. Entrei com uma ação de reitegração de posse com pedido de liminar. O juiz não deferiu nem indeferiu, apenas determinou a citação dos réus para defesa no prazo de 15 dias, antes de decidir sobre a liminar. O cartório expediu mandado de citação com reintegração imediata da posse.  Infelizmente ou felizmente, não sei dizer, entrei em contato com o oficial de justiça via telefone celular apenas para informa-lo que os réus trabalham próximo ao imóvel e, se não o encontrasse no endereço indicado, poderia econtrá-los no comércio ao lado. O oficial de justiça me informou que estava aguardando para cumprir a …

O Centro Judiciário de Solução de Conflito.

O Centro Judiciário de Solução de Conflitos é destinado à conciliação das partes, permitindo que os cidadãos solucionem questões nas áreas de família, cobranças, relações de consumo, entre outros, deforma simples, rápida, sem custos e SEM ADVOGADO,  não havendo a necessidade de se submeter a processos.
Eu sempre acreditei que o Centro Judiciário de Solução de Conflito atediam pessoas hipossuficientes financeiramente, pessoas carentes, mas não é isso o que acontece.
Estou ciente de um caso na cidade de Campinas em que não se trata de divorcio consensual, há menor, as partes tem condições financeiras para pagar honorários, mesmo porque a Defensoria Pública recusou atendimento a parte, e o caso está sendo tratado no Centro Judiciário de Solução de Conflito e, detalhe, SEM ADVOGADO.
Eu acredito na importância da conciliação, do acesso as pessoas a solução de conflitos, mas sem banalizar a profissão do advogado e contrariar a lei.
A lei 90099/95 (Lei do Juizados Especiais) prevê em seu artigo …